terça-feira, 31 de agosto de 2010

Cerco de Jericó

A comunidade Obra de Maria está realizando um cerco de Jericó de 02 a 09 de setembro.
O Cerco de Jericó é uma campanha de sete dias e sete noites de oração diante de Jesus presente no Santíssimo Sacramento. Sua inspiração mais remota encontra-se no capitulo 6 do livro de Josué. O texto sagrado nos conta que antes de chegar à terra prometida o povo de Israel se viu diante das grandes muralhas de Jericó que o impediam de prosseguir a caminhada. Obedecendo a voz de Deus, Josué, sucessor de Moisés e líder do povo, convidou os Israelitas a orarem durante sete dias e sete noites rodeando as muralhas de Jericó, tendo a frente a Arca da Aliança, sinal da presença de Deus que caminha com seu povo.
Josué e os Israelitas acreditaram na promessa divina de que no sétimo dia durante a sétima volta as muralhas cairiam e eles alcançariam a vitória, coisa que de fato aconteceu porque o Senhor é fiel e cumpre suas promessas!
Nos nossos dias colocamo-nos diante de Jesus presente no Santíssimo Sacramento e confiantes no poder da oração, pedimos que Ele derrube as muralhas que nos impedem de tomarmos posse de uma vida mais santa e feliz.

Início: dia 02 as 19:00 hs
Término: dia 09: as 19:00 hs
Rua: Duodécimo Rosado, 421

Deixe aqui as sua intenções para o cerco de Jericó

Nome:


E-Mail:


Assunto:


Mensagem:



sábado, 28 de agosto de 2010

Obra de Maria realiza amanhã encontro vocacional

Amanhã 29 de agosto, a Comunidade Obra de Maria da Diocese de Mossoró, estará realizando um encontro vocaional na Escola Estadual Dom Costa, na rua Duodécimo Rosado, ( Por traz do Colégio Diocesano), contará com a presença de todos os missonários que atualmete estão nas missões da Diocese (Umarizal-RN, Casa do Bairro Dom Jaime- Mossoró e Casa do Centro - Mossoró-RN)

Jesus te chama pelo nome!

Você é nosso convidado!
Venha participar conosco!
Informações: 84 3314 0107

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Novidade no Programa Obra de Maria

Neste mês vocacional o programa Obra de Maria, apresentado na Rádio Rural AM 990 todos os sábados as 16:00h, contará com a presença muito especial da missionária Djailma Maria, consagrada na C.O.M. que será entrevistada pelo apresentador do programa, o missionário Cleiton Amorim, que falarão de Vocação. Além da entrevista, teremos o momento de reflexão, agenda da semana, as peregrinações, música e muito mais. Ainda neste sábado, 28, teremos a estréia do CD Domingos Sávio, membro Obra de Maria, que lançou CD solo, após gravar dois discos com o ministério Obra de Maria (Deus Salva e Maria passa na frente) o novo trabalho se chama , Minha Adoração.

Acesse www.ruraldemossoro.com.br e ouça on line!
Adicione no seu MSN: obrademaria.mossoro@hotmail.com
--
Cleiton Amorim
Comunidade Obra de Maria
Missão Mossoró-RN

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Vocação: "Deus não escolhe os capacitados mas capacita os escolhidos."

Blog Mossoró: Quando surgiu a idéia de ser uma missionária?

Amanda: Cada um de nós somos chamados por Deus a ser um verdadeiro seguidor de seus projetos e enquanto não o realizarmos nunca nosso coração estará em total paz.
Meu desejo de ser missionária na Comunidade Obra de Maria surgiu aos meus 10 anos. Havia acabado de me mudar de Caruaru para Recife com minha família, no qual todos
já éramos de grupo de oração. Certo dia meus pais descobriram um grupo de oração no bairro em que morávamos, Várzea, justamente o dessa comunidade no qual hoje faço parte. Eu não fui à primeira vez com eles, mas fiquei ansiosa pela chegada deles em casa. Quando retornaram minha mãe me explicou que moravam jovens, casados, celibatários, padres e que tinha como carisma "Evangelizar de todas as formas com alegria". Fiquei muito feliz e falei para ela que gostaria de morar nessa comunidade. Ela por sua vez ficou surpresa pelo fato de eu nunca ter ouvido falar e muito menos conhecer a Obra de Maria, mas eu já sentia que ali era o meu lugar. Falei para ela que se eu não fosse agora quando completasse 18 anos iria. Louvo a Deus porque não precisou desse tempo todo pois dois anos depois eu e toda minha família nos tornávamos membros da Comunidade Obra de Maria. Atualmente moro numa missão fronteira com Paraguai e eles em Cachoeira Paulista.

Blog Mossoró: O que pesou na hora de você tomar a decisão de seguir a Deus?

Amanda:Como falei anteriormente, tinha 12 anos na época mas com essa idade eu não podia tomar uma decisão de morar numa casa separada dos meus pais por mais que meu coração desejase em viver somente ao serviço de Deus. Precisei esperar (5 anos) até poder viver somente pelo meu chamado. Quando fiz 17 anos e acabei os estudos, ai sim nada poderia deter essa voz do chamado de Deus em meus ouvidos. Na hora de realmente tomar a decisão, no meu caso, o que pesou foi o medo de não conseguir dar conta de tudo o que Deus me pedia. Acredito que alguns também pensam isso mas me peguei na passagem de Jeremias 1, 6-8. E foram esses versículos que me impulsionaram e me deram forças para dizer: eis-me aqui Senhor!!!


Blog Mossoró: Qual o papel de Nossa Senhora em sua vocação?

Amanda:Nossa Senhora é exemplo na minha vocação. É aquela que me ensina a caminhar na fidelidade, simplicidade, silêncio, doçura. É aquela que mesmo na dor era ombro amigo para os discípulos mostrando-me que mesmo com minhas lutas e sofrimentos também devo ser esse ombro para os meus irmãos. Já vivi muitas experiências com Nossa Senhora principalmente pelo título que tenho mais devoção: Nossa Senhora de Guadalupe. De uma coisa não tenho dúvida, já que Ela foi a única capaz de ser fiel a Deus até a cruz, intercede por cada filho que também tem esse desejo.

Blog Mossoró: Como é a experiência de viver da providência de Deus?

Amanda:É a melhor coisa que há!!! É na providência que percebemos tão nitidamente o quanto Deus se importa com nossas necessidades. É incrível como nada que realmente precisamos não falta. Já perdi as contas de quantas vezes disse para Deus: "Ai, Senhor! Eu estou precisando tanto disso" e não passava uma semana e chegava o presente de Deus lá em casa. Viver da PROVIDÊNCIA é confiar que Deus nada deixa faltar aquilo que nos é necessário.

Blog Mossoró: O que você diria para quem quer fazer parte da família Obra de Maria?

Amanda:Se você se sente chamado a dar esse passo, não deixe que nada lhe afaste dos planos de Deus na sua vida. Talvez você precise esperar, assim como eu, o tempo certo. O que importa é não desistir pois Deus nunca desistirá de você. Aqueles que são chamados a viver uma vida comunitária tenham certeza, como nós que já vivemos temos, que Comunidade é o caminho que você deve seguir para chegar ao céu e o mais importante levar as outras pessoas até ele. Por isso: "VEM SERVIR A DEUS COM ALEGRIA!"

Amanda Emanuela Campos Silva, Brasileira tem 20 anos, consagrada, já desempenhou seus trabalhos nas missões de Beberibe-PE, Apipucos-PE, Casa Mãe (Várzea)-PE, Caruaru-PE e atualmente Ponta Porã – MS

Dica de Livro: A Bíblia

Dica de filme: Treino para a vida

Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus» (Mt 5, 8)

A saúde do corpo é um bem para a vida humana. Ora, somos felizes se, para além de conhecermos a definição da saúde, vivermos saudáveis. [...] O Senhor Jesus não nos diz que seremos felizes por conhecermos certas matérias relativas a Deus, mas que o seremos se O possuirmos em nós próprios. Com efeito, «Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus» (Mt 5, 8). Ele não diz que Deus Se deixa ver por todos quantos tiverem purificado o olhar da alma [...]. Há outra frase que exprime o mesmo pensamento com maior clareza: «O Reino de Deus está dentro de vós» (Lc 17, 21); esta passagem ensina-nos que aquele que purificou o seu coração de todas as criaturas e de todas as ligações desordenadas vê a imagem da natureza divina na sua própria beleza. [...]


Há em ti, em certa medida, uma aptidão para ver a Deus. Aquele que te formou depositou no teu ser uma força imensa. Ao criar-te, Deus encerrou em ti a sombra da Sua própria bondade, como se imprime o desenho de um selo na cera. Mas o pecado dissimulou esta marca de Deus, que ficou oculta pela sujidade do mesmo pecado. Se, fazendo um esforço de vida perfeita, purificares a sujidade que tens no coração, a beleza divina voltará a brilhar em ti. Assim como um pedaço de ferro de que foi limpa a ferrugem brilha ao sol, assim também o homem interior, aquilo a que o Senhor chama o «coração», reencontrará a semelhança com o seu modelo quando tiver limpado as manchas de ferrugem que lhe deterioram a beleza.
São Gregório de Nissa (c. 335-395), monge e bispo

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

ENCONTRO VOCACIONAL DA Comunidade Obra de Maria

Vocação... Existem muitos caminhos. Você, Jovem, já pensou qual vai seguir?

Para você, JOVEM, que deseja descobrir sua VOCAÇÃO, TORNANDO-SE PESSOA...! Esta é a chance de você ver de perto a sua vocação. Um momento bom para descobrir o enorme amor de Deus para com você e a paixão que o atrai para junto dele e para o serviço a seu povo.

Você é convidado! Participe! Dia 29 de agosto de 2010 na Escola Estadual Dom João Costa.

Um espaço, tempo para se expressar, se conhecer, se dar a conhecer, se abrir para ganhar mais brilho interior, leveza para ser livre e fiel ao chamado de Deus, descobrindo suas potencialidades, aptidões, trabalhando as fragilidades, fortalecendo sua identidade e dando condições para você cultivar seu desejo de ser um Missionário da Comunidade Obra de Maria, homens e mulheres, conhecendo o CARISMA DE EVANGELIZAR DE TODAS AS FORMAS COM ALEGRIA, nosso jeito de servir a Deus e a Igreja levando o amor de Jesus através de Maria a todos os povos.

Local do encontro:

Rua Duodécimo Rosado, s/n ( Por traz do Colégio Diocesano)

Das 8:00hs as 17:00hs

INFORMAÇÕES:

84 3314 0107 - Casa masculina

84 3061 5222 - Casa feminina

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

A mão de Deus estendida a nós.

Seis anos de missão em Mossoró, quero antes de tudo agradecer, porque você fez, faz e fará sempre parte de nossa história!
Neste tempo novo que o Senhor nos proporciona, devemos aproveitar e nos lançar na Evangelização fazendo Deus mais conhecido e amado. Para nós da missão Obra de maria em Mossoró, todo aquele que contribui com o Braço Forte além de evangelizar conosco, se torna a mão de Deus estendida a nós. Com sua ajuda conseguiremos ir mais longe, dar passos firmes nos planos que Deus tem para nosso carisma. A fidelidade é um ponto importante para aqueles que aderiram este projeto. Precisamos do seu SIM mensalmente para mantermos a nossa casa de missão.

Ser Braço forte é ser peça fundamental de um quebra cabeça chamado Obra de Maria, sem sua contribuição falta algo. Ser Braço Forte é diferente de ser dizimista. Todo cristão deve ser dizimista, isso é fundamental para todos os cristãos. O projeto Braço Forte da Obra de Maria é o seu algo a mais para o reino de Deus.

Seja luz, seja a mão de Deus estendida para nós. Se você ainda não é um contribuinte Braço forte da Obra de Maria, não perca tempo assossie-se ainda hoje pelo fone: 84 3314 0107 e nos ajude a evangelizar.

Cleiton Amorim
Assessoria Braço Forte
Missão Mossoró-RN

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Potengi fé 2010 - 20 anos da Obra de Maria

Santa Helena, mãe do imperador Constantino,

Santa Helena nasceu na Bitínia e pertencia a uma familia plebeia. Por ordem do imperador Diocleciano, Helena foi repudiada pelo marido, o tribuno militar Constâncio Cloro, pois pela lei romana não era reconhecido o matrimónio celebrado entre um patrício e uma plebéia. Sendo assim, Helena era considerada simplemente concubina e, tendo Constâncio Cloro recebido o título de Augusto, foi obrigado a abandonar Helena, embora conservando consigo o filho Constantino, nascido no ano de 285. Quando seu pai faleceu e Constantino foi aclamado Augusto, em 306, em York, pelas legiões da Bretanha, Helena pôde voltar para o lado do filho, com o merecido título de Mulher Nobilíssima, tendo recebido o mais alto título de Augusta, quando o filho, derrotando Maxêncio às portas de Roma, se tornou Imperador. Foi aí o início de uma pacífica obra de reconstrução, incluindo a paz com o cristianismo.

Pelas suas relações com o cristianismo, ele deu de facto à sua monarquia um conteúdo espiritual, tendo atribuído a sua vitória à protecção de Cristo. Que parte tivesse a mãe Helena nesta conversão de consequências tão grandes, não nos é dado saber. Helena mostrou sempre fervor religioso que se traduziu em grandes obras de beneficiência e na construção de basílicas nos lugares santos.

Mesmo com idade avançada, foi à Palestina para seguir as escavações iniciadas em Jerusalém pelo Bispo São Macário, que reencontrou o túmulo de Cristo escavado na rocha e, pouco distante, a cruz do Senhor e as duas cruzes dos ladrões. 0 reencontro da cruz que se deu em 326, sob os olhos da piedosíssima mãe do imperador, produziu grande emoção em toda cristandade. Levada pelo entusiasmo desse primeiro sucesso, continuou a procura, encontrando a gruta do nascimento de Jesus em Belém e o lugar no monte das Oliveiras, onde Jesus esteve com os discípulos antes de subir ao céu. Com estas descobertas, seguiu-se a construção de outras basílicas. Uma delas, no monte das Oliveiras, teve o nome de Santa Helena.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Vocação, resposta de amor ao chamado de Deus

Agosto, mês dedicado vocação. Olhando para o significado desta simples palavra, obtemos a extraordinária conclusão: Vocação = Talento. Para Santa Teresinha do Menino Jesus, sua vocação era o Amor, este era o seu talento, AMAR!
Quando descobrimos quem somos, logo sentimos a necessidade de preencher todo o vazio que está em nós. Somos filhos de Deus e precisamos assumir isso! Assim como Ele chamou muitos para segui-lo, ainda hoje, neste tempo continua a chamar os filhos para um intimidade de Amor. Neste chamado que Deus nos faz, assumimos uma grande missão, que é papel de todo aquele que vive um vocação: O serviço! Nada mais é que trabalhar para o crescimento do reino."A messe é grande"Lc 10, 2. Lembro quando Deus me chamou a ser Obra de Maria, o chamado era pra Servir, senti que seria muito útil minha vida ofertada a Deus para o próximo. Assim foi minha resposta a Deus, quando Ele me chamou a ser inteiramente d'Ele: Eis-me aqui, Usa-me!

Jovem, pra que tanto medo de encarar a verdadeira vocação, se Deus tem o melhor pra ti!
Já é tempo de assumir o que está no fundo do teu coração.Dê um passo para Deus e responda com amor ao chamado d'Ele para sua vida.

--
Cleiton Amorim
Comunidade Obra de Maria
Missão Mossoró-RN

domingo, 15 de agosto de 2010

Vida consagrada

No primeiro domingo deste mês vocacional rezamos pelos nossos padres. Domingo passado agradecemos a vida e o dom da paternidade, colocando nossos pais, vivos e os que estão na glória de Deus, diante do altar. O terceiro domingo é dedicado a todos os consagrados: freiras, freis, irmãos e irmãs que dão a sua vida pelo Evangelho na contemplação ou na ação pastoral, segundo os conselhos evangélicos. A vida consagrada é um desdobramento da vida batismal, na esteira dos Conselhos Evangélicos da pobreza, da obediência e da castidade.

Toda a nossa existência de fiéis cristãos deveria ter como destaque a nossa vida batismal, pois nela somos incorporados a Cristo, nela somos libertos do pecado e assim regenerados pelo Espirito Santo. Nela nos tornamos participantes da vida trinitária. Portanto, a nossa consagração começa no batismo, pois este é fonte de responsabilidade e de deveres, tal como servir aos outros na comunhão da Igreja.

A vida consagrada em que se professa os três votos mencionados é uma resposta a esta consagração batismal dentro de um chamado a um carisma especial na Igreja. É uma resposta radical ao extraordinário amor de Deus sobre nossas vidas. É um ir além, numa vida comprometida com a implantação do Reino de Deus entre os homens e entre as mulheres.

O cristão sempre é chamado a jogar suas redes em águas mais profundas, ao se provocar pelo estímulo a uma nova vida, mais radicalizada e mais enraizada em Deus. Corre-se o risco para Deus, e descobre-se que só Deus basta para nossa vida.

No processo da consagração ouve-se a voz de Deus que chama. A Igreja reconhece este chamado e o autentica ao autorizar a existência dos Institutos de Vida Consagrada, que tanto bem fizeram e fazem ao Povo de Deus e a toda população, através da entrega da própria vida pelo irmão, e, além dos vários serviços de missão, evangelização, catequese, também nos diversos organismos de caridade, educacionais, do cuidado com a saúde, no desvelo com a terceira idade e de promoção humana existentes.

Deus chama homens e mulheres, através da vida consagrada, para um missão de amor em favor dos homens, e, principalmente, pelos preferidos: os pobres.

A riqueza da Igreja, já nos dizia o mártir São Lourenço, celebrado nesta semana, não está nos seus edifícios que são do Povo de Deus ou no propalado, cobiçado e imaginado poder financeiro, mas nos pobres, nos que sofrem, nos que a Igreja acolhe, educa, cuida e apresenta como o seu inexorável tesouro que jamais a traça comerá.

Os religiosos e consagrados são um dom precioso da Igreja e do mundo, este tão carente, tão sedento de Deus e de sua palavra, mas também de testemunhos.

Porém, antes mesmo do serviço que os religiosos prestam às pessoas, a sua mais importante missão é o «ser», quer dizer, o testemunho de vida em comunidade, doada diariamente com alegria e generosidade. São os «sinais escatológicos» do Reino de Deus. Nestes últimos tempos, ao lado de antigas tradições de consagrados juntaram-se muitas outras novas experiências de grupos de pessoas que atualizam dentro das atuais realidades e, muitas vezes, como sinais de contradição: o chamado de Deus para essa consagração radical. Dentro dos vários estilos de carismas encontramos o equilíbrio entre a vida de ação e contemplação, de oração, de trabalho – presentes em cada pessoa, em cada instituto e na própria estrutura eclesial.

No mundo do descartável, do prazer sem limites, na opulência do dinheiro e do ter, da autossuficiência, sentimo-nos atraídos, através da vida consagrada, a uma outra proposta de seguimento mais sublime de Jesus Cristo através da dedicação a Deus pelos conselhos evangélicos e, desta forma, são um doce e eloquente sinal de Deus neste mundo.

Neste dia de oração pela Vocação à Vida Religiosa quero enviar um afetuoso abraço de encorajamento na sua vocação e na sua missão a todos os consagrados que trabalham no âmbito de nossa Arquidiocese, que fazem a diferença do rosto de Cristo e da Igreja no Rio de Janeiro. Agradecemos a Deus por nos proporcionar tantas vocações na vida consagrada, e pedimos-Lhe que estes continuem a ser um sinal de graça perene no mundo, na construção da justiça e do amor.

Por isso, agradecidos a Deus pela vocação consagrada, peçamos novas e autênticas vocações para este serviço e que a Trindade ilumine todos os que continuam dando passos para que o Reino de Justiça e de Paz se estabeleça entre nós pelo testemunho dos que deixam tudo para trás, por amor, para ser totalmente de Jesus e da Igreja. Que Deus guarde, abençoe e proteja os consagrados!

Dom Orani João Tempesta, O. Cist.

Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

TV Aparecida e Canção Nova confirmam debate com presidenciáveis

Está confirmado o debate que as TVs Aparecida e Canção Nova promovem com os presidenciáveis no dia 23 de agosto, às 22h, no auditório da Faculdade Santa Marcelina, em São Paulo. Dos quatro candidatos mais bem posicionados nas pesquisas, Marina Silva, Plínio de Arruda Sampaio e José Serra estarão presentes. As emissoras aguardam confirmação da candidata Dilma Roussef.

Este será o primeiro debate entre presidenciáveis promovido por emissoras de televisão de inspiração católica. Os organizadores esperam criar um espaço inédito para que temas de interesse dos católicos sejam tratados com profundidade, além de assuntos importantes para toda a sociedade.

"Nossa intenção é dar oportunidade ao telespectador de conhecer melhor cada candidato, suas ideias e soluções para nossa sociedade. É um espaço para levar mais subsídios para nosso público, a fim de que os eleitores possam fazer as melhores escolhas", comenta a superintendente da TV Canção Nova, Ana Paula Guimarães.

Para o diretor geral da Rede Aparecida, padre César Moreira, a realização do programa é um marco. "Não se pode mais dissociar religião de política. Muitos dos nossos telespectadores gostariam de conversar com esses políticos e com o debate temos a chance de promover essa aproximação. Esperamos poder contar com a participação dos quatro candidatos", comenta padre César, que será o mediador do debate.

Para definir as regras do debate, foram realizadas reuniões com as assessorias dos candidatos José Serra (PSDB), Marina Silva (PV), Plínio Arruda Sampaio (PSOL) e Dilma Roussef (PT). Assuntos como aborto, uso de células tronco embrionárias e exposição de símbolos religiosos em locais públicos farão parte da pauta que compreende ainda questões ligadas à saúde, educação, emprego, segurança pública, previdência, liberdade de imprensa, reforma agrária.

"Nosso objetivo não é estimular a discussão entre os candidatos, mas a exposição de suas ideias", afirma a superintendente da Canção Nova.

Regras do debate

O debate terá duração de duas horas e está estruturado em quatro blocos. No primeiro, o mediador fará perguntas aos candidatos a partir de temas sorteados ao vivo. No segundo bloco, as perguntas aos presidenciáveis serão feitas por três jornalistas convidados pela coordenação do programa sobre temas de livre escolha. No terceiro, as perguntas serão feitas por representantes de pastorais e movimentos da Igreja Católica, ligados à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que estarão na plateia.

No último bloco, os presidenciáveis respondem, mais uma vez, a perguntas feitas pelo mediador e participam do quadro "Como você resolverá o problema?". Neste quadro, o mediador apresenta um determinado problema e o candidato indica que solução daria para o caso. O programa termina com as considerações finais de cada candidato.

O tempo

A cada pergunta, o candidato terá entre 1 minuto e 1 minuto e meio para resposta. Nos blocos 2 e 3, cada resposta será comentada por outro candidato sorteado. Haverá réplica de 1 minuto para o candidato que respondeu e tréplica de 1 minuto para o candidato que comentou.

Todo o conteúdo do programa será transmitido também via internet e nas rádios dos dois grupos de comunicação, além de outras emissoras católicas interessadas em retransmitir a programação.

Abruc, AEC, UCB e CNBB

Um outro debate com os presidenciáveis está sendo articulado pela Associação Brasileira das Universidades Comunitárias (ABRUC), Associação de Educação Católica (AEC), Universidade Católica de Brasília (UCB) e Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Os organizadores do debate já se reuniram duas vezes com assessores dos candidatos para debater as regras e confirmar a data, que será na segunda quinzena de setembro.

Agosto mês Vocacional


Todos os caminhos do Senhor são graça e fidelidade, para aqueles que guardam sua aliança e seus preceitos. Sl 24,10

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Assunção de Maria e a nossa vida

Neste dia 15 de agosto celebramos a festa da Assunção de Maria ou, como é mais conhecida aqui no Brasil, a festa de Nossa Senhora da Glória, e aqui no Rio de Janeiro com uma antiga e bela igreja no Outeiro e bairro que leva o seu nome. A residência oficial dos arcebispos desta arquidiocese é situada exatamente no Bairro da Glória.

Juntamente com essa Solenidade, neste ano coincidente com o domingo, para onde sempre é transferida, o mês vocacional recorda-nos a vocação à vida religiosa, à vida consagrada. Essa vida é um sinal atual daquilo que a Assunção de Maria nos indica como as últimas verdades da vida humana: todos somos destinados à santidade e à contemplação de Deus na visão beatífica.

Foi necessária, a 1º de novembro de 1950, a Igreja, através do Papa Pio XII, proclamar essa convicção que já vinha sendo confessada pelo povo de Deus desde os inícios do cristianismo – é o dogma da assunção de Maria ao céu em corpo e alma. Na Igreja Oriental já era celebrada a chamada Festa da Dormição de Maria, ela que, isenta do pecado, entregou-se definitivamente ao Pai ao final de sua vida terrestre.

É uma feliz oportunidade nestes tempos de tantas confusões com relação à antropologia para ressaltar a integridade e a dignidade do corpo humano, corpo este que é um constitutivo da própria personalidade do homem. Pensemos nas atrocidades que são noticiadas a cada dia contra o corpo e reflitamos mais além: aquelas outras que não aparecem nas páginas dos jornais e nem nas telas da televisão! Perdemos o respeito pelo ser humano! Acredito que esta oportunidade será uma ótima ocasião para que, diante da Assunção de Maria, retomar as reflexões importantíssimas sobre este assunto.

A Assunção de Maria é a negação de toda forma de indignidade do indivíduo, uma resposta brilhante e salutar ao ser humano. É uma oportunidade, portanto, para meditarmos sobre o verdadeiro significado e valor da vida humana. Somente com a fé é que temos esperança de um mundo melhor, um “novo céu, e uma nova terra”.

Maria é o sinal para todos nós, Igreja, daquilo que somos chamados a viver. Por isso, esta solenidade também nos recoloca a reflexão sobre o nosso fim último. Não nos coloquemos à margem desta Assunção Mariana, mas que ela seja um princípio de nossa própria ressurreição, quando nos encontraremos em felicidade plena junto a Deus, tal como Maria está no tempo hodierno. Na sua Glória, ela é um de nós: corpo e alma.

Além disso, no pensamento sobre a vida futura que teremos junto a Deus, toda a vaidade, todo o egoísmo fica para trás e torna-se efêmero, inútil. A festa da Assunção desprende-nos do transitório, do descartável, e reporta-nos para a segurança definitiva que somente teremos em Deus.

Não é uma alienação da realidade, ao contrário: conhecendo para onde vamos, somos chamados a viver ainda melhor o nosso dia a dia. Tudo o mais, inclusive a nossa existência, deverá, então, estar em função desse fim último: Deus. Assim, tudo o que vivermos já aqui será uma graça para a nossa vida, pois disputaremos a labuta cotidiana com o pensamento no transcendente, e, portanto, santificando principalmente os nossos afazeres e o nosso contato com os irmãos.

É também nesse sentido que a vida religiosa e consagrada pode nos ajudar a vivenciar esses valores do Reino com intensa caridade e disponibilidade: sinais escatológicos!

Assim, nesta festa mariana somos chamados a viver na confiança para além da morte, para além do sofrimento, para além da tristeza e a participar na felicidade do céu, quando Deus realizará tudo em todos.

Nossa Senhora da Assunção, da Glória, não está longe de nós, ao contrário, continua próxima de seus filhos, aos quais ouve e convida a ouvir o Seu Filho Jesus. Sob seu abrigo maternal está o seu coração de mãe, que ainda bate e sofre conosco.

E assim, com ela podemos meditar como São Paulo: “Nem a morte, nem a vida, nem anjos, nem os principados, o presente, nem o futuro, nem as potestades, nem as alturas, nem os abismos, nem outra qualquer criatura poderá nos separar do amor que Deus nos testemunha em Cristo Jesus, nosso Senhor. (Rm 8,38-39)

Nossa Senhora da Assunção, cultuada por séculos aqui bem próximo da sede de nossa Arquidiocese, no Outeiro da Glória, rogai por nós que recorremos a Vós!

Dom Orani João Tempesta

Agosto mês Vocacional

Vocação é abandonar-se sem reserva no projeto que Deus tem para mim.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Jovens portugueses acolhem a cruz da Jornada Mundial da Juventude 2011

Representantes de todas as dioceses de Portugal receberam nesse domingo, 8, a Cruz da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) das mãos dos jovens espanhóis, durante a Eucaristia que encerrou a Peregrinação e Encontro de Jovens, em Santiago de Compostela.

Segundo informa Agência Ecclesia, o grupo português, constituído por 15 jovens, estava liderado pela diocese do Porto, cuja responsabilidade era trazer a Cruz para Portugal.

O símbolo percorre o país até dia 20 de agosto, numa iniciativa que visa a congregar os jovens e prepará-los para a JMJ de Madri 2011. O bispo do Porto, dom Manuel Clemente, esteve presente na cerimônia. Ele destacou a “grande ligação das dioceses do Norte de Portugal, e em especial do Porto, a Santiago de Compostela”.

Dom Manuel expressou sua satisfação pela participação entusiástica dos jovens, que é um exemplo para os responsáveis da Igreja. “Encontrarmo-nos com a juventude, nos seus próprios ritmos, serve como um acerto e ajuda-nos a definir aquilo que devemos fazer”, disse.

Já o arcebispo de Braga, dom Jorge Ortiga, ao acolher a Cruz na igreja de São Victor, na noite desse domingo, convidou todas as paróquias a estarem presentes na próxima edição da JMJ.

Em sua homilia, o arcebispo disse que a grande cruz da juventude atual é o “não ter sentido na vida, o sentir-se perdido, sem grandes objetivos, sem grandes finalidades e sem grande esperança”.

“Assim como a Cruz de Cristo é aurora, é abertura de uma esperança, era conveniente também que esta Cruz da Juventude significasse para os nossos jovens esse acreditar nessa aurora desse mundo melhor para a juventude”, afirmou.

CNBB com Zenit

Agosto mês Vocacional


“Muitas pessoas confundem nosso trabalho com vocação. Nossa vocação é o amor de Jesus.” Madre Teresa de Calcutá

terça-feira, 10 de agosto de 2010

hoje é dia de S. Lourenço, diácono, mártir

São Lourenço sofreu o martírio durante a perseguição de Valeriano, em 258. Era o primeiro dos sete diáconos da Igreja romana. A sua função era muito importante o que fazia com que, depois do papa, fosse o primeiro responsável pelas coisas da Igreja. Como diácono, São Lourenço tinha o encargo de assistir o papa nas celebrações; administrava os bens da Igreja, dirigia a construção dos cemitérios, olhava pelos necessitados, pelos órfãos e viúvas. Foi executado quatro dias depois da morte de Sisto II e de seus companheiros.
O seu culto remonta ao século IV.

Preso, foi intimado a comparecer diante do prefeito Cornelius Saecularis, a fim de prestar contas dos bens e das riquezas que a Igreja possuía. Pediu, então, um prazo para fazê-lo, dizendo que tudo entregaria. Confessou que a Igreja era muito rica e que a sua riqueza ultrapassava a do imperador. Foram-lhe concedidos três dias. São Lourenço reuniu os cegos, os coxos, os aleijados, toda sorte de enfermos, crianças e velhos. Anotou-lhes os nomes ... Indignado, o governador concedeu-o a um suplício especialmente cruel: amarrado sobre uma grelha, foi assado vivo e lentamente. No meio dos tormentos mais atrozes, ele conservou o seu "bom humor cristão". Dizia ao carrasco: "Vira-me, que deste lado já está bem assado ... Agora está bom, está bem assado. Podes comer!..."

Roma cristã venera o hispano Lourenço com a mesmo veneração e respeito com que honra os primeiros apóstolos. Depois de São Pedro e São Paulo, a festa de São Lourenço foi a maior da antiga liturgia romana. O que foi Santo Estêvão em Jerusalém, foi São Lourenço em Roma.

Agosto mês Vocacional


Vocação é o chamado de Deus e a resposta do homem. CIC

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Agosto mês Vocacional

Quando respondemos o chamado de Deus e somos fiéis a nossa vocação Ele nos faz andar por lugares altos.

Hoje é dia de Santa Teresa Benedita da Cruz (Edith Stein)

Edith Stein nasceu em Breslau, atualmente Wroclaw, capital da Silésia, na Alemanha (cidade que, depois da Segunda Guerra Mundial, passou a pertencer à Polónia), no dia 12 de Outubro de 1891, quando se celebrava a grande festa judaica do Yom Kippur, o Dia da Reconciliação.
Seus pais, Sigefredo e Augusta, eram comerciantes judeus. Edith foi a última de onze filhos. O pai faleceu em 1893. A mãe encarregou-se dos negócios da família e da educação dos filhos. A pequena Edith, segundo o seu próprio testemunho, foi muito dinâmica, sensível, nervosa e irascível. Aos sete anos, começou a possuir um temperamento mais reflexivo.
Em 1913, ingressou na Universidade de Gottingen e dedicou-se ao estudo da Fenomenologia. Aí encontrou a sua verdadeira vida: livros, companheiros e, sobretudo, o célebre professor E. Husserl. Durante este tempo chega a um ateísmo quase total.
Em 1914, explode a Primeira Guerra Mundial. Edith vai trabalhar num hospital com quatro mil camas. Entrega-se a este trabalho de corpo e alma.
Estuda com seriedade a Fenomenologia, até se encontrar com a doutrina católica. Encontra definitivamente a sua nova fé em 1921, quando lê a autobiografia de Santa Teresa de Jesus. O amor a Deus, o Absoluto, toma conta de sua alma: “Cristo elevou-se radiante ante meus olhos: Cristo no mistério da Cruz”. Sob a direção do Padre jesuíta Erich Przywara, começa a estudar a teologia de São Tomás de Aquino.
Baptiza-se no dia 1 de Janeiro de 1922, recebendo o nome de Teresa Edwig. Desde então sente-se evangelizadora: "Sou apenas um instrumento do Senhor. Quem vem a mim, quero levá-lo até Ele”. "Deus não chama ninguém a não ser unicamente para Si mesmo”.
Aos 42 anos, no dia 15 de Abril de 1934, festa do Bom Pastor, veste o hábito carmelita no Convento de Colónia.
Sua conversão, que não a impede de continuar a sentir-se filha de Israel, enamorada de sua santa progenitura, separa-a, contudo, de sua família e de sua amada mãe: “Minha mãe opõe-se com todas as suas forças à minha decisão. É difícil ter que assistir à dor e ao conflito de consciência de uma mãe, sem poder ajudá-la com meios humanos”. (26-01-1934).
No dia 21 de Abril de 1935, domingo de Páscoa, faz seus votos religiosos e três anos depois, no mesmo dia, seus votos perpétuos. Sua vida será uma “Cruz” transformada em “Páscoa”.
Na Alemanha, os nazis começam a semear o ódio ao povo judeu. Ela pressagia o destino que a aguarda. Tentam salvá-la, fazendo-a fugir para a Holanda, para o Carmelo de Echt. Membros das SS não tardam a invadir o convento e prendem Irmã Benedita e sua irmã Rosa, também convertida ao catolicismo.
Três dias antes de sua morte, Edith dirá: “Aconteça o que acontecer, estou preparada. Jesus está aqui conosco”. (06-08-1942).
Após vários tormentos, no dia 9 de Agosto de 1942, na câmara de gás do “inferno de Auschwitz", morria a mártir da Cruz, Irmã Teresa Benedita. Foi beatificada no dia 1º. de Maio de 1987, em Colônia, e canonizada em 1999 pelo papa João Paulo II.
O mesmo Papa a declarou, com Santa Catarina de Sena e Santa Brígida da Suécia, padroeira da Europa.

Teresa Benedita da Cruz, rogai por nós!

domingo, 8 de agosto de 2010

Agosto mês Vocacional


Vocação é atender ao apelo de Deus, que nos convida a seguir na trilha da verdadeira felicidade. Josivânia Xavier

Para que você foi chamado?

Como criaturas humanas, nosso primeiro chamado foi à vida. Feitos à imagem e semelhança do Criador, somos a obra mais bela da natureza e fomos colocados no mundo para uma missão:“ Crescei-vos e multiplicai-vos e aperfeiçoai a terra” (Gn 1,28). Olhando ao nosso redor, vemos que estamos longe da perfeição e nos distanciando da multiplicação.

A cada dia que passa o desafio de um mundo melhor, de famílias melhores, de sociedade melhor, se torna cada vez mais urgente. Nesta perspectiva, gostaria de recordar, trazer ao coração, o chamado que Deus colocou em cada coração humano. Não somos obra do acaso e nem existimos para o acaso. Deus criador quis contar conosco para levar à perfeição a sua obra.

Assim vale lembrar que em primeiro lugar Deus nos chamou à vida. A glória de Deus é o homem vivo, a pessoa vivente. Defender e cuidar da vida nossa e do próximo, como ecologia humana, para promover uma verdadeira ecologia da natureza: esta é a vocação, o chamado que o Pai criador colocou em nossos corações desde o nascimento.

Por isso, sempre gostei de dizer: minha vocação, e não minha profissão. Ser profissional, competente, capacitado para exercer a vocação com todas as suas exigências, isto faz parte integrante da realização pessoal e do direito dos interlocutores. Como faz bem ouvir: “Esse ou essa pessoa foi chamada para isso, faz tão bem e com tanto amor que escolheu certo a sua vocação”. Então o diferencial no exercício da vocação está no amor com que se cumpre a missão.

A autoridade e o poder não entram como elementos fundamentais neste caminho de realização pessoal. Somos servos e a nossa felicidade está em fazer os outros felizes. Assim a vocação é presente de Deus, que chama para colaborar na obra da criação e no aperfeiçoamento do ser humano. “Uma pessoa que tem caridade não é orgulhosa, não gosta de dominar os outros; não gosta de falar do que faz. Uma pessoa que tem a caridade não analisa a intenção dos atos dos outros.

Não se ofende se o próximo prefere os outros; se desprezada, fica feliz da mesma forma. Vede que para amar o bom Deus e o próximo não é preciso ser eruditos, nem ricos; basta procurar agradar a Deus em tudo o que fazemos; fazer o bem, fazer o bem a todos, tanto aos maus, como aos bons, tanto aos que dilaceram nossa reputação, como aos que nos amam” (São João Maria Vianey).

Nesta primeira semana de agosto, recordando a vocação presbiteral e a vocação dos pais de família, quero saudá-los e parabenizá-los, presbíteros e pais que aceitaram o chamado a dar a vida, servindo sem ser servido. Uma entrega oblativa para o bem de cada ser humano, de cada criatura colocada neste mundo, para serem perfeitos e aperfeiçoar a terra em que vivemos.

Homens com vocação sublime para formar comunidades vivas, comunidades domésticas com a presença de Jesus: “onde dois ou mais estiverem unidos em meu nome, Eu estarei no meio deles” (Mt 18,20). Fomos chamados para criar unidade ao redor da presença do Mestre e Senhor, defendendo a vida em todos os sentidos, porque “Ele veio para dar a vida e a vida em abundância” (Jo 15,5).

Que os pais de família e os pais (Padres) das comunidades sejam sempre e cada vez mais testemunhas vivas de quem se apaixonou em primeiro lugar por Jesus, para que todas as outras paixões sejam iluminadas pela única e luminosa paixão. Assim teremos a certeza de manter a fidelidade no matrimonio e no sacerdócio por manter, custe o que custar, a fidelidade ao Senhor e Salvador Jesus. Esse é o nosso chamado, essa é a nossa vocação comum. E você, para que foi chamado?

Dom Anuar Battisti

sábado, 7 de agosto de 2010

O tesouro da vida

A vida é o grande tesouro para todas as pessoas. Ela deve coincidir com as inspirações que brotam do coração, com aquilo que identifica a realidade de cada ser humano criado para o bem e a felicidade.

O tesouro da vida é fruto de vigilância constante. Isto acontece no correto uso que fazemos dos bens da natureza e do valor que damos a todos eles. Aí reinam a justiça, a fraternidade e a esperança.

Na busca do verdadeiro tesouro temos que descobrir o que vem em primeiro lugar, o valor que conta e que dá sentido pleno para a vida. É a presença da partilha como gesto de desprendimento solidário.

Não são as riquezas materiais e o acúmulo de bens que significam tesouro. Neles pode estar a atitude de egoísmo, como diz Jesus: “Onde estiver o vosso tesouro, aí estará o vosso coração” (Lc 12, 34).

O grande tesouro é ter a sabedoria do Reino de Deus, que faz história em cada um de nós. É questão de fé, podendo nos dar os fundamentos do que esperamos. Não é um tesouro passageiro, vazio, mas de eternidade.

O desprendimento de bens passageiros nos ajuda a concentrar nossa atenção nas realidades duradouras, naquilo que constitui sentido para a existência humana. Assim construiremos um tesouro que não termina na terra.

Podemos até concluir nosso pensamento dizendo que, quem tem a Deus como tesouro, nada lhe falta. Ele é o tesouro duradouro, que nos leva a construir uma sociedade totalmente nova. O Reino de Deus é o caminho da verdadeira felicidade.

Esse Reino está presente no “sim” que damos quando tomamos decisões conscientes e responsáveis. Nas eleições deste ano, por exemplo, é importante o envolvimento das prioridades da sociedade, a luta por uma democracia sustentável.

No voto responsável devem estar os critérios de compromisso cristão, um país mais justo e preocupado com o bem comum e com a dignidade de seu povo. Isto só acontece na escolha de políticos honestos e comprometidos com a cultura da vida.

Dom Paulo Mendes Peixoto